domingo, 26 de janeiro de 2014

Experiência com Triciclo

Olá amigos,


Quero partilhar hoje com vocês o início de minha experiência com os chamados "triciclos".

Se você pesquisar no YouTube sobre esse assunto vai encontrar resultados mais rapidamente com a palavra chave "recumbent trike".

"Recumbent", em inglês, significa "inclinado" ou "reclinado". Acredito que "trike" é uma variante de "bike", já que a bike tem duas rodas (bi-ke) e a trike tem três (tri-ke).

O nome em português seria então "triciclo reclinado" (pela posição de pilotagem).

A primeira vez que vi um triciclo reclinado desses foi num passeio em grupo, aqui mesmo em Fortaleza. Fui conversar com um dos usuários e descobri que ele mesmo fabricava a Trike. Não há quem veja esses triciclos e não tenha vontade de sentar e pedalar, porque é curioso. Surge logo a pergunta, como seria pedalar uma dessas? É natural rsrsr.

Como todo bom curioso comecei a pesquisar sobre as recument trikes e encontrei várias vantagens. Me animei, fui na oficina do Manoel (fabricante), conversamos algumas vezes e resolvi encomendar uma pra mim.

Em teoria (que pude constatar na prática) a trike me traria as seguintes vantagens, em relação à bike:
- O peso do piloto fica distribuído por uma área muito maior que o selim da bike, o que certamente diminui a pressão e o desconforto que sentimos quando se pedala por muito tempo (nádegas);
- A aerodinâmica durante a pedalada é muito boa. A posição reclinada para trás, com os pés para frente, faz com que o piloto corte o vento mais eficientemente. Normamente, numa bike tradicional, o peito funciona como área de resistência;
- As mãos não sofrem com o peso do corpo. Muitas vezes, durante uma pedalada mais prolongada de bike as mãos ficam formigando;
- Como a trike tem três rodas, você não precisa se preocupar de colocar o pé no chão, não se desequilibra, não cai (rsrsr);
- O centro de gravidade muito mais baixo que uma bike também faz diferença quanto à estabilidade;
- Você não deixa a coluna arqueada, mas reta e apoiada;
- Velocidade média das retas igual ou superior à bike e, sem dúvida, superior nas descidas;

Quem pretende usar pra trabalhar pode adaptar uma maletinha ou alforge atrás. Fica bem bacana, como nesse modelo que o Manoel fez.

Claro que nada é somente vantagem. O transporte da trike no carro é mais trabalhoso e ela não é tão boa quanto uma bike nas subidas, porque seu peso é maior. Além disso, já ouvi comentários que o fato da trike ser baixa poderia incomodar em pedaladas durante o horário mais quente do dia, porque o piloto fica muito perto do chão (isso nos locais quentes como o Ceará. Noutras cidades de clima mais moderado isso não seria problema). Num engarrafamento, onde não há ciclofaixas ou ciclovias, você pode ficar parado também.

(detalhe do freio à disco)
Aparentemente a Recumbent "Bike" (bicicleta reclinada) é a melhor de todas. Só não vou falar dela agora porque realmente ainda não usei nenhuma, mas parece que ela ganha da bike e da trike.

Percebi que os carros respeitam bastante o trike, guardando distância. É fácil visualizar, seja por causa do tamanho, seja pelas luzes de alerta, seja pela bandeirinha que usamos atrás.

Veja abaixo um vídeo que postei no YouTube de um passeio que fizemos outro dia. Vale à pena conferir.

Um abração e boas pedaladas!!!



2 comentários: